O uso dos chás



Em seu livro “As Ervas do Sítio” Rosy L. Bornhausen, refere-se à vida agitada em que atualmente vivemos como um desafio a ser enfrentado. Valoriza “uma vida menos complicada, simples”, sugerindo que iniciemos por observar e acolher a beleza, o encanto e a formosura das plantas. Mas por que fazer uso de chás e outras formas de fitoterápicos se a indústria farmacêutica produz uma quantidade e uma variedade enorme de medicamentos? Posso afirmar que a principal razão é porque pode-se comprar o medicamento, mas o cuidado com a saúde de seu corpo depende principalmente de você. Sim, é você a primeira pessoa responsável pela sua saúde, seu bem viver. O que você faz, os alimentos, os hábitos de vida de uma maneira geral interferem diretamente na saúde de seu corpo e sua mente. Portanto, o primeiro passo é acolher, observar, integrar-se com a natureza. Um segundo passo é apreciar e valorizar suas propriedades, utilizando-as para manter ou recuperar a saúde.

As plantas – ervas e árvores – medicinais são utilizadas pelo ser humano desde muitos e muitos anos. As pessoas foram descobrindo, observando e experimentando maneiras de enfrentar os males que acometiam a população. A troca de saberes, experiências e seu registro, proporcionaram com o passar dos séculos e milênios, um grande acervo no que se refere ao uso de plantas medicinais.

Atualmente, muitas têm, além de seu conhecimento reconhecido pela tradição e pela população, comprovação científica. No Brasil e em outros países também, algumas delas são aprovadas para uso na rede pública, pena que não chega a muitos municípios, mais pela lógica da indústria do que pela indisposição dos trabalhadores e gestores da saúde (é o que experimento aqui no Tocantins - simplesmente não se encontra nas distribuidoras da região). Espinheira Santa, Guaco, Calêndula, Funcho, Alecrim e muitas outras plantas, ricas em propriedades e conhecidas pela população.

Mas, e o chá? Trata-se de uma forma simples, barata, rápida de obter um remédio ou um líquido saboroso para acompanhar uma breve refeição ou um lanche. Também pode ser utilizado após a refeição. Lembremos que na refeição, principalmente almoço e jantar, não é saudável a ingestão de grande quantidade de líquidos, principalmente se for gelado, sendo que atrasa a digestão. Por exemplo, um chá de maçã para o lanche da tarde ou, à noite, consiste numa agradável bebida.

Dicas - Como preparar e usar as plantas: Existem várias formas de utilizá-las: chá, tintura, suco, cápsula, creme, gel, pomada, xampu e outras. A seguir sugerimos algumas que podem ser preparadas em casa.

dieta-cha-amarelo cópiaDecocção – Colocar a planta juntamente com a água em uma vasilha, ferver por um tempo determinado (3 a 30 minutos) depende da planta utilizada. Desliga-se o fogo está pronta à decocção. Deixar 10 minutos e coar. A vasilha deve estar tampada durante todo o processo de preparo. É um método bastante utilizado. Útil principalmente para preparar chás de frutos, cascas, sementes e raízes. Algumas folhas como as de Guaco também devem passar por este processo para liberar seus princípios ativos.
Infusão – Colocar a planta numa vasilha e despejar água fervendo sobre a mesma. Tampar e deixar em 
repouso por 10 minutos. Coar e está pronto para uso.
Maceração – Por a planta/ erva de molho em água fria durante 10 a 24 horas, conforme o tempo que se deseja. As folhas ou outras partes da planta podem ser cortadas ou friccionadas.
Sucos – Plantas como dente de leão, hortelã, mastruço e tanchagem pode-se preparar na forma de sucos com uma ou mais plantas; às vezes misturar com frutos como laranja ou limão. Bater no liquidificador com água e ingerir em seguida.
Tisana – Colocar água em um recipiente levando-o ao fogo. Ao ferver a água, acrescentar a planta e ferver por 5 minutos. Desligar o fogo, deixar tampado até esfriar. Depois, coa e está pronta para uso.

Estas são apenas algumas formas de apreciar os dons que o Criador nos oferece pela natureza. Experimente essa opção, escolha uma erva de sua preferência e faça um delicioso chá. Torne seus dias mais saudáveis e agradáveis, pois além de ajudar em diversos problemas, o chá também é muito relaxante.

Referência: BORNHAUSEN, Rosy, L. As Ervas do Sítio. São Paulo: BEI Comunicação, 1988


Share on Google Plus

Sobre Dica Certa

A Consciência do dever cumprido, infunde em nossa alma uma doce ALEGRIA.