Altos e Baixos...

 Pergunta a Osho,  Cada vez mais eu vejo como a minha energia, ou está subindo demais, ou está muito baixa. Às vezes eu fico muito excitada e ela desce de novo. E, então, sinto-me embaraçada sobre o que aconteceu durante este estado de excitação.
Você tem um artifício para me dar sobre como observar quando a excitação vem e não ser carregada para longe... e não ficar identificada com a depressão?
E, como encontrar meu enraizamento e meu equilíbrio?

Resposta a Latifa,
A mente é quase como o oceano, ondas sobre ondas. Algumas ondas são mais altas e, entre duas ondas, há uma depressão. Há duas formas de sair deste contínuo processo de altos e baixos.
A mais fácil é quando você está em êxtase, este é o momento para estar consciente. Na depressão, na agonia, o estado de consciência se torna mais difícil. Quando você está fluindo com alegria, felicidade pura, este é o momento para se estar consciente, mas as pessoas fazem exatamente o oposto. Quando elas estão alegres, quem se interessa em estar consciente? E, quando elas estão na angústia então, certamente, elas começam a pensar que este é o tempo para ficarem conscientes, e saírem da angústia. Mas ninguém jamais foi capaz de sair da angústia diretamente.
Primeiro, é preciso sair do êxtase. Se você puder ficar consciente dos seus momentos de alegria logo de início, na depressão a descida não acontecerá. A porta para a saída é durante o estado de êxtase. Portanto, esta é a forma mais simples:
Seja feliz e esteja consciente.
Seja alegre e esteja consciente.
Ame e esteja consciente.
Não coloque a Consciência de lado, dizendo que "Isso é uma maneira de perturbar; estou em um êxtase tão imenso..." A Consciência se torna como algo que perturba, mas ela não perturba: Ela pode parecer desta forma no começo, mas logo você verá que ela elevará seu êxtase a picos mais altos. No final das contas, Consciência e êxtase se tornam um. Então, aquelas descidas, aqueles momentos depressivos e agonias desaparecem.
O segundo caminho, que é desnecessáriamente seguido por poucas pessoas é difícil, mas, sendo você alemã, talvez o segundo caminho seja o certo para você. Tente se tornar consciente quando você estiver sofrendo - e isto não é só para você, muitas pessoas pelo mundo todo, história afora, tem tentado isto. Se não houvesse nenhum sofrimento, eles criariam sofrimento só para ficarem conscientes dele. Eles jejuariam e isto criava um sofrimento. Eles viveriam nus durante o inverno rigoroso sem roupas, e isto criava sofrimento. O homem é muito inventivo, ele torturará a si mesmo de muitas formas.
De vez em quando uma pessoa se torna consciente a partir desta experiência também; ela é desnecessariamente desumana, mas quase todas as religiões tem estado pregando isto. O que quer que seja difícil encanta a mente humana, e o que quer que seja óbvio e simples, você tende a esquecer daquilo.
Mas aqui você não está na Alemanha. E mesmo na Alemanha, você não vai ser alemã. Uma vez que você está comigo você tem que se desenganchar de todas estas doenças: ser da Alemanha, ser da Índia, ser da China... Basta ser humano, é suficiente.

Eu ensino a você o fácil. Eu não sou a favor de nenhum tipo de tortura desnecessária. Se isto é inevitável, aí já é outra coisa, mas até mesmo o sofrimento inevitável, nós temos tentado transformar.
Para mim, a porta mais fácil é aquela que você achar mais alegre. Dance, cante... e, enquanto dançando e cantando esteja consciente.
Não se perca e não se identifique.
O antigo hábito da mente é se identificar com qualquer coisa. Seja o que for que esteja acontecendo, a mente imediatamente se identifica. A mente não funciona como um espelho, ela funciona como um filme. Seja o que for que venha à frente dela se torna impresso nela. O espelho continua vazio. As pessoas vem e vão, há altos e baixos... o espelho não se perde em identificação alguma.




Aqui, eu lhe ensino celebração, o regozijar, porque eu sei que esta é a porta mais perto para seu despertar completo. Um homem cheio de alegria, está próximo da Existência. Quanto maior for a sua alegria, menor é a distância entre ele e o coração do Universo.
Na sua agonia, você está só; bem distante do coração do Universo. A sua agonia tem criado a distância. Portanto, quando você estiver em agonia - isto é humano e uma vez ou outra isto acontece - fique alerta. E, se você tiver sido capaz de se manter alerta quando a dança estava descendo em você e flores estavam chovendo em você, não será difícil de forma alguma estar consciente quando alguma coisa estiver errada. Você pode ser uma observadora - ficando à parte, desidentificada.
Este é o caminho do espelho. E este é o caminho daqueles que vieram a conhecer a natureza humana mais profundamente do que os seus chamados religiosos e psicanalistas, as suas chamadas pessoas sábias. Mas isto é com você. Se você sente prazer em se auto-torturar então escolha momentos de miséria para a prática da Consciência. Mas, se você está compreendendo e é inteligente, você escolherá a forma mais fácil e mais próxima.
Seja como for, independente da sua escolha o resultado é o mesmo: Consciência fará você livre da identificação. Você pode tentar ambos; algumas pessoas se perdem quando elas estão felizes. Talvez para elas seja difícil: ficar conscientes enquanto estão felizes. A mente lhes diz: "Qual é a necessidade de Consciência? Numa alegria destas, em momentos de alegria, não me venha com religião junto! Você é jovem, e você está saudável, e você está amando, qual é a necessidade de ir à Igreja agora?" Sim, quando você tiver ficado idosa, com um dos pés na sepultura, então você lembra de Deus - mas só que aí é muito tarde; então você reza a Deus - mas aí é muito tarde.
Foi outro dia, Anando me mostrou uma fotografia de um missionário cristão muito famoso: um homem velho que foi "direito" por trinta anos. Em seus sermões na televisão milhões de pessoas o estavam escutando a cada domingo. Agora, ele foi pego saindo da casa de prostituição. Ele fez a coisa certa: apareceu na televisão com lágrimas nos olhos... Eu olhei para aquela fotografia e não podia acreditar que, nesta idade, ele choramingasse. Milhões de pessoas assistindo sentiram simpatia pelo velhinho, e ele estava dizendo: "Pedirei para Deus que me perdoe, e a vocês que me perdoem. Tenho ido a prostitutas por todos estes anos. Agora, por três meses eu não falarei como um sinal de penitência." Mas, o mais provável durante estes três meses é que ele vá visitar prostitutas. O que mais ele fará? Deus está sempre disponível. Hoje, ou daqui a três meses, você pode pedir por perdão.
Mas, comigo não há Deus. Ninguém pode perdoar você e não há nenhum sentido em qualquer reza. Você tem que mudar. Você precisa entender o mecanismo da transformação e ele é muito simples.
Cedinho, pela manhã, caminhe enquanto os pássaros estiverem alegres e as árvores brilhando no sol, e você estiver sentindo uma paz, fique alerta. Seja o que for que esteja acontecendo, não deve acontecer em um estado de inconsciência; simplesmente esteja consciente. Isto não significa que você tenha que ficar verbalmente repetindo dentro de você mesmo: "Olhe, os pássaros estão cantando. Olhe como as árvores estão felizes. Olhe, que paz prevalecendo..." Assim, você destrói tudo!
Não é para você verbalizar.
Você precisa experienciar.
E quando for que você encontre o momento em que a alegria é estupenda, naquele momento: fique alerta. Lenta, lentamente, o seu estado de alerta se tornará parte de você. E o trabalho de ficar alerta é destruir as identificações.
De vez em quando você estará com depressão - nuvens escuras, a vida parecendo sem sentido... por qualquer razão. O estado de alerta que você ganhou, fortalecido, cristalizado nos momentos de alegria, virá socorrer você. Você permanecerá distante e saberá, profundamente: "Tudo isto está acontecendo, mas não comigo, só em volta de mim - e isso continua mudando. Minha Consciência permanece somente como um espelho, só refletindo, mas não se identificando."
Mas hábitos antigos, Latifa, morrem com dificuldade, com grande esforço; nós fomos ensinados desde o começo. Se houve outras vidas antes, nós estamos carregando condicionamentos, calculados por cientistas com, no mínimo, dez milhões de anos de idade. E o condicionamento mais perigoso, no que concerne ao despertar, no que concerne à Iluminação, é a identificação.
Em menos de um segundo você fica identificada, você esquece que isto também passará. Espere apenas um minuto... o seu antigo namorado se foi? Sinta-se alegre: “Que grande oportunidade!” Isto é o que eu tenho estado ensinando: deixe o velho ir porque o novo está chegando. Levará um tempinho. Neste espaço é com você a escolha: ser miserável ou ficar esperando em estado de alerta.
Mas, a cada dia, isto continua. Pela manhã, seu humor está ruim e você sabe que este humor esteve ruim muitas vezes, antes; e que ele não permanece; então, para que se incomodar? Deixe que ele seja ruim. Porque se importar? Para que dar alguma atenção para isto, se cada atenção é nutrição?
Basta observar, deixe o humor antigo ficar ofendido...
"Qual é o problema? Latifa tem estado sempre acolhendo... Alguma coisa mudou. Ela está se sentando silenciosamente, nem mesmo se importando que haja um humor velho e ruim."
Mas você não se lembra da sua própria vida e do seu padrão. Estes altos e baixos não estão acontecendo com você, eles estão acontecendo só na sua mente - e você não é sua mente. Você pode ficar de fora e observar todo o jogo. Escolha algum jeito, mas abandone o antigo hábito de repetidas vezes cair na mesma armadilha. Uma vez você pode ser perdoada, porque você estava se movendo em um território desconhecido; mas a segunda vez, se você cair na mesma armadilha, e a terceira vez, e a milionésima vez...! Aí, parece que você está decidida a cair na armadilha aconteça o que acontecer. Não é a armadilha: é a sua decisão - ou, talvez, você não está absolutamente consciente e está só tropeçando na escuridão como sonâmbulos. Até eles fazem melhor.
Mas esse velho hábito tem que ser mudado. E não existe a questão de qualquer esforço para mudá-lo. Não decida, "Eu mudarei." Uma simples compreensão, uma simples clareza de toda a situação e o antigo muda. Mas, mesmo pessoas adultas se comportam como crianças pequenas sem maturidade, sem realmente provar que elas são adultas. Parece que elas estão envelhecendo, e não crescendo. (...)
Se nós olharmos, para o nosso próprio comportamento, vocês não encontrarão muita diferença. A mesma coisa continua e continua. Deixe que a compreensão prevaleça – uma compreensão simples. Somente fique consciente deste silêncio. Não use palavras internamente, não julgue.
Deixe aquilo que estiver acontecendo simplesmente ser refletido. E este tem que ser o método a ser usado para se desidentificar das suas subidas e descidas e trazer um equilíbrio para a sua Vida.


Osho 
  
Share on Google Plus

Sobre Dica Certa

A Consciência do dever cumprido, infunde em nossa alma uma doce ALEGRIA.