Terapia do Riso...


Em 2001, criei o Projeto Quero Viver num Planeta que Ri, que pontuava a Terapia do Riso como a oportunidade de darmos A grande gargalhada para a vida.
Portanto, este texto faz parte deste Projeto que deseja levar a possibilidade da prática da Terapia do Riso dentro de cada lar brasileiro.

O primeiro ponto a ser colocado aqui é que nossas percepções, sensações, sentimentos e pensamentos são matérias-prima que irão determinar a qualidade das nossas ações.
Ou seja, as nossas atitudes são uma mera cristalização do que percebemos, sentimos e pensamos. Nesta ordem.
Então, cuidar, em meditação, em estado de alerta, de tudo o que entra em nós, sejam os alimentos, percepções, sentimentos e pensamentos, é fazer uso de uma chave poderosa, o segredo do nosso sucesso.
Portanto, cabe a todos nós, sermos o grande alquimista da nossa vida e do planeta, pois, fazendo uso desta chave poderosa, podemos transformar o denso em sutil e assim sublimar.

A Terapia do Riso é uma técnica terapêutica de sutilização, pois ela possibilita o resgate do nosso otimismo, do bom astral, do bom-humor, enfim, do estar de bem com a vida; um estado natural da nossa criança interna, um ser absolutamente espontâneo e sutil.
Assim, a Terapia do Riso tem como propósito essencial facilitar o Resgate da Alma, uma parte absolutamente sutil de nosso Ser. Uma pessoa desanimada está sem anima (Alma). Uma pessoa mau-humorada está densa e desidentificada da sua alma, da leveza, da inspiração.
Segundo Buda, o sorriso começa na alma e o primeiro ponto onde ela toma forma no corpo físico é nos olhos, reconhecidamente as grandes janelas da alma. Então, o otimismo começa nos olhos, mas quando ele chega a ser percebido nos olhos, todo o corpo físico já está sentindo a sua unidade com a alma. Olhos, face e corpo começam a irradiar um brilho, uma luz.
Mas, o bom astral não é apenas um estado de alma, é também uma oportunidade de perceber, sentir e pensar a vida como ela é. Como ela se apresenta ou magnetiza. Cada desafio passa a ser percebido como uma oportunidade para transformar, superar, crescer.
Esta é a grande alquimia da vida: transformar desafios em superação, sublimação.

Sempre gosto de sugerir aos meus alunos a criação de imagens alegóricas, para serem usadas como ícones nas suas mentes criativas e assim recorrer a estas imagens toda vez que desejarem resgatar suas almas, suas crianças internas, suas inspirações: transformações.

A imagem de uma pessoa desanimada ou mau-humorada pode ser visualizada como um fio solto e desencapado, ou seja, oportunidade mínima de fazer contato ou perceber sincronicidades.
Já a imagem de uma pessoa em estado de riso é a de um grande cálice (ver figura), braços para o alto, palmas das mãos em concha para cima, recebendo tudo o que é fluido do universo, e o fundo deste grande Graal sendo o nosso coração.

Assim, a Terapia do Riso é um trabalho que fala dos efeitos terapêuticos e curativos do riso e de como utilizá-lo de uma forma prática na vida diária e cada vez mais possamos experimentar a sensação contagiante de bem estar que nos traz o positivismo e o bom astral.

O poder de cura do riso envolve a conquista de maior autoconfiança e poder de comando da própria vida.
O rir é a forma mais simples que conheço para resgatar o ânimo, a energia pessoal e de nos fazer enxergar o lado positivo, muitas vezes cômico, divertido, hilário, patético, de todas as brigas que temos conosco e com o mundo.

Mas, precisamos estar alerta de não transformar, ou entender a Terapia do Riso como uma panacéia milagrosa, mas afirmar que o riso e o gargalhar constituem um excelente presente da natureza, que na sua prática por 05, 10, 30 minutos diários, desencadeia a produção de substâncias que tanto beneficiam a saúde do corpo físico quanto a alma e o espírito.

Do ponto de vista psicológico, podemos dizer com Gérard Jugnot que o riso é como um limpador de pára-brisa; ele nos permite rodar em frente, chegar em nosso destino, mesmo diante da chuva ou temporal. Não há nada melhor que um filme ou espetáculo humorístico, uma seção de piadas e gargalhadas para retomarmos o fôlego quando a tristeza ou o mau humor nos ataca.

Não se trata de negar as feridas da vida, mas de sobreviver a elas. Como declarou o Dr. Christian Tal Schaller, "a emoção é uma energia que precisa se manifestar no físico através de gritos, choros, danças, risos ou... de uma doença". A Terapia do Riso sugere optar pelo riso do que esperar pela doença.
 
 
Aprendendo a Rir

Aprender a rir significa também aprender a curar-se de forma alegre e divertida, de todas as limitações: da falta de confiança, das inseguranças, dos medos, da ansiedade, do estresse, da tristeza, dos estados depressivos e da baixa auto-estima.
E sentir-se cada vez mais criativo, valioso e com força interior, para criar em sua vida o tudo de bom. E, sentir-se cada vez menos ansioso, confiando mais na fluidez da vida, na força do seu semear.
No ato de rir, são ativadas em nosso cérebro, a produção e liberação no sangue de umas substâncias hormonais chamadas endorfinas, que têm o poder de construir uma sensação de bem estar, otimismo, alegria, euforia e felicidade.

Esta sensação não é nada mais que a droga natural da felicidade que está dentro de nós e que todos podemos ativá-la para desfrutarmos o dia e a vida de forma positiva.
As endorfinas podem ser comparadas a prismas, que nos fazem enxergar a vida com mais transparência, cor, brilho e poder, transformando nossas atitudes para conosco mesmos, para com os outros e para com a vida.

Tudo o que acontece de bom nos dá alegria e tudo o que não é de acordo com as nossas expectativas nos causa tristeza e infelicidade. Mas, em geral, estamos tão despreparados (iludidos mesmo) para viver a alegria e a felicidade, tão fechados para as infinitas possibilidades que a vida nos oferece de vitória; com nossas expectativas tão distantes da realidade, que quando vem a sensação de vitória, sentimos medo e acaba durando pouco.
Entretanto, sempre deixamos bastante espaço para os pensamentos negativos, para a bioquímica do denso, do pessimismo. Inclusive, qualquer um tem o poder de nos roubar energia e nos desequilibrar, não é mesmo? Mas, existe um ditado que afirma: O Diabo não entra onde não é convidado!
E a única pessoa que pode fazer este convite é você mesmo!
Pare e pense: quanto doamos de poder aos outros?

Conclusão: Decida-se por assumir a responsabilidade pelas suas percepções, sentimentos e pensamentos; pelo seu poder e alquimia da felicidade e paz internas.
Rir e gargalhar por 05, 10 e até 30 minutos por dia, pela manhã, na frente do espelho ou da melhor forma que você encontrar.
Ou, então, marque grupos de encontro semanal com seus amigos, familiares, colegas de trabalho, enfim ... Comece a comandar a sua alquimia de sutilização e transformação.
Afinal, a proposta é viver num Planeta que Ri e, a partir de toda esta força alquímica que todos produziriam, sublimar este planeta Terra.
 
Conceição Trucom
 
 
Share on Google Plus

Sobre Dica Certa

A Consciência do dever cumprido, infunde em nossa alma uma doce ALEGRIA.